terça-feira, julho 19, 2005

gatices

Para a isabel Peixoto, que gosta destas bichezas

OUTRA GATA

"Embora seja tão
minúscula, está viva
a gata que se esquiva
enquanto minha mão,

com mais de um arranhão,
conclui a tentativa
inútil e, à deriva,
afaga o nada em vão.

Fruindo em paz de sete
vidas, no entanto, a gata
faz sua toilette

e assim não se constata
que esconde um canivete
suíço em cada pata."

Nelson Ascher "ALGO DE SOL", 1996

5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

He, He! Que moca!... obrigada

IP

2:16 da tarde  
Blogger maria said...

Serão mesmo assim, todas as gatas, reguilas?
:)

11:09 da manhã  
Anonymous Cadelinha Lésse said...

Há cadelinhas que também o são...

3:40 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

São guardiões da pequena caixa dos bruxedos,
onde se jogam paixões e destinos.
Alguns trazem no olhar, tão fundo,
a trama de um mistério insondável,
a teia de um segredo sem ter fim.
Acordam na noite, entre afagos,
o sobressalto ancestral de outros medos
que se multiplicam, felinos,
na arena branca do nosso sono
vigiado pelos olhos que não dormem
mesmo quando o corpo está imóvel.

«O Livro dos Gatos», José Jorge Letria

Eu.

10:32 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

best regards, nice info
» »

11:15 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home